Clínica Social de Condeixa-a-Nova Artigos Neuropsicologia – Como melhorar a nossa atividade mental

Neuropsicologia – Como melhorar a nossa atividade mental

O Órgão Mais Complexo!

Brain Activity

O nosso cérebro é o órgão mais complexo do nosso corpo. E só conhecemos uma pequena percentagem do que o nosso cérebro é efetivamente capaz de fazer. Às vezes, ao falar com as pessoas acerca deste órgão fabuloso, dá a sensação que estamos todos à espera que os neurocientistas lancem grandes descobertas das suas últimas experiências de como melhorar a atividade cerebral. Mas se continuamos à espera, o nosso cérebro não está a tentar dar o seu melhor! Então, temos que exercitar este grande órgão que temos.


Em primeiro, entendam como funciona!

Primeiro temos que entender como o cérebro funciona desde o nascimento até aos dias de hoje. Ao olhar para o nosso próprio cérebro de dentro para fora irá permitir-nos entender em que fase de desenvolvimento estamos e como é que podemos melhorar.

  • Do nascimento à infância, o cérebro funciona principalmente através dos sentidos e de imagens.

Logo após o nascimento, o cérebro está preparado para captar tudo o que o pequeno ser precisa para se sentir protegido: aquela pessoa importante que nos faz sentir calmos no meio do mundo caótico que ainda não conhecemos. Após o nascimento, o cérebro presta atenção a estímulos que já recebia durante a gravidez: paladar, toque e cheiros.

Quando o bebé nasce, ele sabe automaticamente que precisa de ser alimentado; ao ser alimentado, ele sente o conforto de se sentir seguro e é assim que se assegura que está com quem é responsável pela sua proteção.

Baby TouchingAo mesmo tempo, o bebé começa a tocar coisas, a tocar a pele da mãe e sente a suavidade e o calor. Ele precisa disso para se sentir calmo e seguro. Então está a desenvolver o sentido do toque.

Ao mesmo tempo, o bebé sente o cheiro característico da sua mãe. O bebé já conhece este doce aroma e, novamente, sente-se protegido e calmo.

A audição desenvolve-se um pouco mais tarde, mas mais uma vez, no início só funciona para assegurar ao bebé que a mãe está próximo dele apenas por ouvir a sua voz.

Uma das primeiras imagens que a criança tem é da face da mãe certo? O cérebro começa a formar a face humana de acordo com esta primeira imagem desfocada que temos. Isto é bastante importante porque permite ao bebé identificar-se com a espécie humana e sobreviver ao chamar por esta face. A visão não está apurada ainda, então o bebé só pode confiar nesta imagem para se sentir seguro e crescer de forma saudável.

Baby Being FedQuando se começa a sentir seguro neste mundo, o bebé começa a explorá-lo com todos os seus sentidos. Durante os dois/três primeiros anos, como ainda não sabe fazer uso das palavras, começa a construir o seu dicionário de imagens. Cada objeto começa a ter um lugar no seu cérebro somente porque a mãe apontou para ele e pegou nele – é ela que o faz sentir que aquele objeto é importante e tem um significado para ambos.

A seguir, o bebé começa a adicionar características àquela imagem para que as possa distingui-las de outras: a sua textura, as suas cores, o seu cheiro, até mesmo o seu sabor! Começa também ele a apontar para esses objetos para que a mãe consiga entender que está a tentar comunicar.


  • Durante a infância e os primeiros anos de escolaridade, a criança dá nome e organiza a informação.

Toda a informação recebida tem que ter o seu próprio espaço. É o que acontece quando a criança começa o jardim-de-infância e a educação formal, a criança aprende a categorizar, a memorizar a informação importante, a forçar a si própria a prestar atenção.

Lembra-se quando começou a aprender as cores, as formas, os animais? Estava apenas a organizar a informação que os seus sentidos recebiam.

Então o cérebro começa a desenvolver as áreas responsáveis por receber a informação captada pelos sentidos. Começa a criar categorias, gavetas, como lhes chamo.

Drawers 


  • Adolescência e a análise da informação

A seguir, o cérebro tem que fazer alguma coisa com essa informação. É aqui que o adolescente cresce o suficiente para analisar a informação recebida do exterior (e do interior também, já que o corpo também precisa de atenção). Nesta altura, é pedido ao adolescente que saiba dar uma síntese do que aprendeu, que saiba sumarizar a informação que tem.

Durante a adolescência, o cérebro desenvolve uma área importante responsável por tudo isto. Uma área onde a informação dos sentidos se encontra e que dá um sentido à informação recebida.

Afirma-se que esta área é puramente humana porque se desenvolve através de relações significativas que nos permitem adquirir significados partilhados culturalmente e nos dão a liberdade de criar os nossos próprios significados. Esta área está na origem do nos faz humanos e indivíduos com um Self estruturado.


Da base ao topo, de trás para a frente

Brain DevelopmentÉ assim que o cérebro se desenvolve – a parte de baixo, o sistema límbico, é responsável pelo ciclo de sono e vigília, pelas emoções básicas como o medo, pela manutenção das necessidades básicas e manutenção do corpo essencialmente, pela nossa segurança e proteção. Basicamente, tudo o que o bebé precisa para se manter vivo.

A parte de cima, o córtex, é responsável por receber a informação, mantê-la organizada, armazená-la ou eliminá-la. É responsável por analisar e sintetizar informação: tudo o que a criança precisa para aprender durante os primeiros anos de escolaridade.

A parte de trás do cérebro corresponde ao lobo occipital, responsável por tudo relacionado com a visão. Temos o lobo temporal, responsável pela audição, e o lobo parietal, responsável pela perceção e pelas habilidades motoras. Estes são os primeiros lobos a estruturar-se, de acordo com o seu lugar no cérebro – de trás para a frente. Estas áreas desenvolvem-se de acordo com o que a criança vai precisando: de crescer e aprender tudo o que é necessário sobre este mundo complexo.

E a parte da frente corresponde ao lobo frontal, especialmente o lobo pré-frontal, é o responsável pela coordenação e capacidades motoras complexas, é a área que pega na informação dos outros lobos e a transforma em respostas que dá ao exterior, o responsável pelas nossas decisões, motivações, iniciativas, pelo nosso SELF, pela nossa personalidade.

É o que o adolescente precisa quando chega aos dezoito, dezanove anos. É o que faz do adolescente um adulto responsável pela sua própria vida. Então esta será a última parte a formar-se e desenvolver-se porque o adolescente só precisa de tomar decisões nesta fase: a idade adulta.


Agora o importante é entender como estimular mais a nossa atividade cerebral.

reading in loveSe o interesse for estimular a leitura e interpretação, pense acerca de que tipo de livros lhe interessam. Cómicos ou romances? Policiais ou de fantasia? E gosta de ler em voz alta? Junte-se a um clube de leitura de uma escola local.

Se precisa de estimular o seu nível de atenção, olhe para tantos detalhes quanto puder durante uma atividade rotineira, como ir de casa ao trabalho. Já reparou no número de vasos que está na varanda à sua direita?

Se precisa de melhorar as suas capacidades de memorização, pense em tentar jogos de tabuleiro. Normalmente estes requerem jogar em grupo, então para além de trabalhar a memória, irá estar a divertir-se! Não lhe interessa? Então o que pensa de memorizar o local onde coloca os seus objetos mais importantes e depois mudá-los de sítio e tentar lembrar-se do local original?

writing novelsSe quer melhorar a escrita, pense que tipo de escritor poderia ser. Romântico? Detetive? Dramático? Ficcional? Já pensou em começar um blog onde partilha os seus pensamentos com o mundo?

Se precisa de melhorar a fala/o discurso, agende umas saídas com os amigos ou convide-os para jantar lá em casa! Que maneira melhor pode ter de melhorar as suas capacidades linguísticas do que conversar toda a noite com um grupo das suas pessoas favoritas?

Se for preciso melhorar o cálculo mental, esqueça a calculadora quando precisa de saber a idade de alguém, ou junte-se a um grupo de voluntariado para ensinar Matemática, ou então faça as contas da padaria mentalmente! Faça aquilo que se sentir mais confortável.

doing maths

Durante a idade adulta, precisamos de certos estímulos que nos façam estar interessados e motivados em alguma coisa. O humano adulto já se sente seguro e parte da espécie; agora precisa de realizar as suas necessidades individuais: ter uma carreira, uma família, filhos, uma casa… O humano adulto agora precisa de entender o que o faz sair da cama todos os dias.

Agora o cérebro só está a melhorar para que o adulto consiga atingir os seus objetivos de forma eficiente. Encontrar motivação em qualquer área é a chave para melhorar o cérebro.

Para além disso, durante as primeiras fases de crescimento, as relações transformam completamente o nosso cérebro e este só se desenvolve dentro de relações; quando o indivíduo chega à idade adulta, começa a afastar-se dessas primeiras relações para ser capaz de tomar as suas próprias decisões, mas essas relações serão sempre importantes e terão sempre um peso nas decisões que toma.

Então para além de motivação, precisamos de relações interpessoais significativas! Se voltarem a ler os exemplos dados, algumas das atividades propostas são melhor executadas se forem em grupo e, mais importante, num grupo de pessoas importantes para nós.


Se pretende deixar alguma questão ou partilhar a sua opinião, deixe-nos o seu comentário!

Etiquetas:, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *